DCEU | Entenda como o multiverso da DC pode funcionar nos cinemas


Crédito: @bosslogic
 
Com a notícia que existe uma negociação, em andamento, para Michael Keaton reviver seu papel como Batman, no filme "The Flash", fica cada dia mais evidente que a DC se encaminha para o multiverso em seu Universo Estendido Cinematográfico.

Como sabemos, o diretor do filme "The Flash", Andy Muschietti (It: A Coisa), já afirmou, em diversas entrevistas, que usará a história de Flashpoint em seu longa, mas que será uma versão "diferente do que o público está esperando".

Em cima dessa afirmação, podemos montar algumas teorias sobre a fala de Muschietti e entender que esse "diferente" da adaptação de Flashpoint seja exatamente o ajuste que o DCEU precisa no momento.

Então, você deve estar se perguntando:

Como o multiverso DCEU funcionará?


O DCEU passou por algumas mudanças desde o início, em 2013, quando lançou "O Homem de Aço" de Zack Snyder, já que seus primeiros projetos não tiveram o desempenho esperado pelo estúdio. A estreia de Henry Cavill como Superman foi seguida por "Batman vs. Superman: A Origem da Justiça", que trouxe Ben Affleck como o novo Bruce Wayne/Batman.

Na sequência, o DCEU seguiu um caminho um pouco diferente. Trouxe "Esquadrão Suicida" de David Ayer, que apresentou um grupo de anti-heróis para os cinemas. "Mulher-Maravilha" de Patty Jenkins manteve o universo cinematográfico da DC, mas o fraco desempenho da "Liga da Justiça" levou a Warner a repensar seus planos.

No momento, o DCEU está passando por algumas mudanças, contando histórias de personagens apresentados anteriormente, como Harley Quinn em "Aves de Rapina". E, mudando completamente, como é o caso de Batman, que será interpretado por Robert Pattinson. No entanto, o recente anúncio do potencial retorno de Michael Keaton, como Cavaleiro das Trevas, que integrará o multiverso DCEU, abre muitas portas para futuros filmes e séries. Dando a esse universo mais liberdade para contar histórias diferentes, sem a pressão de se encaixar em uma linha do tempo.

O conceito de multiverso não é novo na DC, mas agora será inserido nos filmes, fórmula já usada nas séries televisivas da CW. Ou seja, a conexão entre os filmes e séries da DC se dará através do multiverso para que os dois mundos possam ser mantidos separados e construindo suas próprias linhas de tempo e arcos.

Os filmes do DCEU e as séries do Arrowverse foram, finalmente, vinculados durante a quarta parte do crossover "Crise nas Infinitas Terras", onde Barry Allen, de Ezra Miller, cruzou o caminho com a versão do personagem de Grant Gustin, confirmando que todas essas histórias vivem dentro de um multiverso.


Assim como os dois Barry Allens fizeram, em "Crise nas Infinitas Terras", o Flash será responsável por introduzir o multiverso no lado cinematográfico da DC. "The Flash" seguirá a história do Flashpoint, onde Barry Allen volta no tempo para salvar sua mãe e acaba criando um universo alternativo, o que abrirá precedente para a inserção do Batman de Michael Keaton, explorando uma realidade diferente de 30 anos após os eventos do filme "Batman: O Retorno", de Tim Burton.

Fazendo com que todas as obras cinematográficas da DC (lançadas e futuras) sejam consideradas cânones, bem como, todas as séries do Arrowverse.

O multiverso facilita as coisas para os roteiristas e diretores que fazem parte do lado cinematográfico do DCEU, já que não haverá mais pressão para se encaixar em uma única linha do tempo e trazer uma história que não prejudicará os filmes anteriores e futuros. Exemplo disso, é "The Batman" que deverá seguir por conta própria e ter conexões mínimas com o DCEU, o que não significa que será deixado de fora desse universo para funcionar.

A mágica de um multiverso é que podem haver várias versões do mesmo personagem, como podemos ver com Michael Keaton, Ben Affleck e Robert Pattinson. (onde todos, em cada universo alternativo, podem ser o Batman ao mesmo tempo). O que significa que o reboot do DCEU não seria mais um problema, já que seria apresentado em linhas de tempo alternativas no multiverso.

O fato de a história ser ambientada em um universo alternativo, tornará mais fácil para os fãs acompanharem-na, com a simples explicação que trata-se de uma linha temporal diferente.

Se assim ocorrer, como espera-se, a DC finalmente terá uma formula única nos cinemas e a Warner, o coração de todos DCnautas.

Crédito: @bosslogic   Com a notícia que existe uma negociação, em andamento, para Michael Keaton reviver seu papel como Batman , no filme &...

Liga da Justiça | Snyder Cut ganha seu primeiro teaser oficial

 
Ding-dong! O sino tocou e Zack Snyder revelou o primeiro teaser do seu corte de Liga da Justiça, que será lançada no serviço de streaming HBO Max, em 2021.

O sneak-peek traz Diana Prince/Mulher Maravilha (Gal Gadot) descobrindo algum tipo de artefato, com uma narração de fundo com o diálogo de Lex Luthor (Jesse Eisenberg) no final do filme de "Batman vs. Superman: A Origem da Justiça", do qual ele sugeria que uma ameaça estava vindo à Terra. E qual seria essa ameaça? Darkseid! O próprio diretor Zack Snyder confirmou que ele estará em sua versão de Liga da Justiça, como podemos ver ao final do teaser.


"Liga da Justiça: Snyder Cut", se lançado como longa, terá cerca de 4 horas de duração, mas cogita-se a ideia de, talvez, ser dividido como minissérie pela HBO Max.

Será uma coisa totalmente nova e, especialmente falando com aqueles que viram o filme lançado, uma nova experiência além desse filme.

Disse Snyder ao The Hollywood Reporter, no mês passado.

O presidente da Warnermedia, Bob Greenblatt, observou que o orçamento para o corte, provavelmente, será muito maior do que 30 milhões de dólares.

Liga da Justiça foi lançado em novembro de 2017 e Joss Whedon assumiu as filmagens de Liga da Justiça depois da saída de Snyder. O filme arrecadou cerca de US$ 657 milhões no mundo, enquanto esteve em cartaz.

O movimento Release The Snyder Cut ganhou força fora das redes sociais, quando cartazes, financiados por fãs, foram divulgados pelas cidades dos EUA. A campanha acabou ganhando destaque de utilidade pública, pois foi além de ser apenas um pedido de liberação da versão diretor do filme Liga da Justiça, serviu de apoio a Snyder que se afastou do projeto, devido a morte da filha. A mobilização, apenas com o apoio dos fãs, conseguiu arrecadar cerca de US$ 100 mil para prevenção de suicídio.

O Snyder Cut de Liga da Justiça será uma das atrações do DC FanDome, evento que acontece em 22 de agosto.

  Ding-dong! O sino tocou e Zack Snyder revelou o primeiro teaser do seu corte de Liga da Justiça , que será lançada no serviço de streamin...

Liga da Justiça | Chefe da HBO Max rebate críticas sobre o lançamento do Snyder Cut

 
Enquanto boa parte dos fãs comemoraram o anúncio do Snyder Cut do filme “Liga da Justiça”, alguns veículos apresentaram críticas pesadas sobre o lançamento do novo corte do longa, que será distribuído, no próximo ano, pelo serviço de streaming HBO Max.
 
Alguns acham que o lançamento do Snyder Cut cria um perigoso precedente para que as reclamações dos fãs sejam suficientes para influenciar o que vemos nos cinemas. Um exemplo disso, seria o filme Esquadrão Suicida, que começou a ganhar o movimento #ReleaseTheAyerCut nas redes sociais, por alguns fãs, agora com mais intensidade.
 
Durante uma recente entrevista ao The Verge, Tony Goncalves, chefe da HBO Max, foi questionado sobre a decisão de #ReleaseTheSnyderCut e deixou claro que isso não deve ser visto como uma nova norma.
 
Tony Goncalves é o CEO da divisão Otter Media da AT&T, grupo responsável pelo serviço de streaming HBO Max.

 

Olha, definitivamente não é um precedente. E você está certo. Existem diferentes tipos de fandoms. Minha referência aos fandoms é o fato de estarmos em um espaço em que os consumidores tem muito a dizer. Os consumidores orientam e temos, definitivamente, que ouvir como indústria. Eu tinha um chefe que certa vez, disse: ‘Indústria e consumidores nem sempre estão alinhados, mas os consumidores tendem a ganhar’. É um bom equilíbrio. E eu acho que quando se trata de vídeo, quando se trata de entretenimento, quando se trata de conteúdo, os consumidores nunca tiveram mais escolhas, e eles nunca tiveram mais de uma voz. Mas isso não significa que iremos investir? nossos dólares em cada fandom que existe. Mas eu acho que, referente ao fandom de SnyderCut e Friends, é o fato de que os consumidores quem estão falando, e precisamos ouvir. Isso não significa que vamos refazer todos os filmes já feitos. Mas acho que, definitivamente, temos mesmo que ouvi-los.
 
Isto ‘fecha a porta’ do Ayer Cut de ver a luz do dia? Não necessariamente, mas Goncalves deixou claro que a HBO Max só vai considerar algo, como a “Liga da Justiça” de Zack Snyder, quando a situação o exigir. Afinal, a demanda por isso, certamente, levará os assinantes para a plataforma e é difícil saber se o mesmo pode ser dito para o “Esquadrão Suicida”.

Texto criado em 03/06/2020 | Publicado em Terraverso

  Enquanto boa parte dos fãs comemoraram o anúncio do Snyder Cut do filme “Liga da Justiça” , alguns veículos apresentaram críticas ...