DCEU | Entenda como o multiverso da DC pode funcionar nos cinemas

junho 24, 2020


Crédito: @bosslogic
Com a notícia que existe uma negociação, em andamento, para Michael Keaton reviver seu papel como Batman, no filme "The Flash", fica cada dia mais evidente que a DC se encaminha para o multiverso em seu Universo Estendido Cinematográfico.

Como sabemos, o diretor do filme "The Flash", Andy Muschietti (It: A Coisa), já afirmou, em diversas entrevistas, que usará a história de Flashpoint em seu longa, mas que será uma versão "diferente do que o público está esperando".

Em cima dessa afirmação, podemos montar algumas teorias sobre a fala de Muschietti e entender que esse "diferente" da adaptação de Flashpoint seja exatamente o ajuste que o DCEU precisa no momento.

Então, você deve estar se perguntando:

Como o multiverso DCEU funcionará?


O DCEU passou por algumas mudanças desde o início, em 2013, quando lançou "O Homem de Aço" de Zack Snyder, já que seus primeiros projetos não tiveram o desempenho esperado pelo estúdio. A estreia de Henry Cavill como Superman foi seguida por "Batman vs. Superman: A Origem da Justiça", que trouxe Ben Affleck como o novo Bruce Wayne/Batman.

Na sequência, o DCEU seguiu um caminho um pouco diferente. Trouxe "Esquadrão Suicida" de David Ayer, que apresentou um grupo de anti-heróis para os cinemas. "Mulher-Maravilha" de Patty Jenkins manteve o universo cinematográfico da DC, mas o fraco desempenho da "Liga da Justiça" levou a Warner a repensar seus planos.

No momento, o DCEU está passando por algumas mudanças, contando histórias de personagens apresentados anteriormente, como Harley Quinn em "Aves de Rapina". E, mudando completamente, como é o caso de Batman, que será interpretado por Robert Pattinson. No entanto, o recente anúncio do potencial retorno de Michael Keaton, como Cavaleiro das Trevas, que integrará o multiverso DCEU, abre muitas portas para futuros filmes e séries. Dando a esse universo mais liberdade para contar histórias diferentes, sem a pressão de se encaixar em uma linha do tempo.

O conceito de multiverso não é novo na DC, mas agora será inserido nos filmes, fórmula já usada nas séries televisivas da CW. Ou seja, a conexão entre os filmes e séries da DC se dará através do multiverso para que os dois mundos possam ser mantidos separados e construindo suas próprias linhas de tempo e arcos.

Os filmes do DCEU e as séries do Arrowverse foram, finalmente, vinculados durante a quarta parte do crossover "Crise nas Infinitas Terras", onde Barry Allen, de Ezra Miller, cruzou o caminho com a versão do personagem de Grant Gustin, confirmando que todas essas histórias vivem dentro de um multiverso.


Assim como os dois Barry Allens fizeram, em "Crise nas Infinitas Terras", o Flash será responsável por introduzir o multiverso no lado cinematográfico da DC. "The Flash" seguirá a história do Flashpoint, onde Barry Allen volta no tempo para salvar sua mãe e acaba criando um universo alternativo, o que abrirá precedente para a inserção do Batman de Michael Keaton, explorando uma realidade diferente de 30 anos após os eventos do filme "Batman: O Retorno", de Tim Burton.

Fazendo com que todas as obras cinematográficas da DC (lançadas e futuras) sejam consideradas cânones, bem como, todas as séries do Arrowverse.

O multiverso facilita as coisas para os roteiristas e diretores que fazem parte do lado cinematográfico do DCEU, já que não haverá mais pressão para se encaixar em uma única linha do tempo e trazer uma história que não prejudicará os filmes anteriores e futuros. Exemplo disso, é "The Batman" que deverá seguir por conta própria e ter conexões mínimas com o DCEU, o que não significa que será deixado de fora desse universo para funcionar.

A mágica de um multiverso é que podem haver várias versões do mesmo personagem, como podemos ver com Michael Keaton, Ben Affleck e Robert Pattinson. (onde todos, em cada universo alternativo, podem ser o Batman ao mesmo tempo). O que significa que o reboot do DCEU não seria mais um problema, já que seria apresentado em linhas de tempo alternativas no multiverso.

O fato de a história ser ambientada em um universo alternativo, tornará mais fácil para os fãs acompanharem-na, com a simples explicação que trata-se de uma linha temporal diferente.

Se assim ocorrer, como espera-se, a DC finalmente terá uma formula única nos cinemas e a Warner, o coração de todos DCnautas.

É Andre, sem acento mesmo. Adoro implicar com a Marvel, então já sabe, se ficar bravo é pior.

Você pode gostar também

0 comentários